Trabalhadores da Weg concluem votação da proposta de redução da jornada e do salário

Os trabalhadores do Grupo Weg (Motores, Automação, Transmissão e Distribuição, Exportação e Corporativo) votam hoje (1º) a proposta da empresa de reduzir a jornada de trabalho em 9,33% e os salários em 7%, na média, pelo prazo de 90 dias. A votação é secreta, sendo que a coleta de votos e a apuração será acompanhada por diretores do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos. Caso a proposta seja aprovada, os trabalhadores deverão folgar sempre às sextas-feiras, nas seguintes datas: 10 e 17 de junho; 1º, 8 e 22 de julho; e nos dias 12 e 19 de agosto. Na semana passada, uma proposta parecida, porém, com redução de 17% na jornada de trabalho e de 13% nos salários, foi aprovada por mais de 80% dos quase 1600 trabalhadores da Weg Energia.

 

Durante os dias 30 e 31 de maio, os dirigentes sindicais reuniram os trabalhadores do Grupo Weg em uma série de Assembleias para esclarecer as dúvidas e orientar sobre o processo de votação. O presidente do Sindicato, Silvino Volz, lembrou que a proposta levada à apreciação dos trabalhadores foi amplamente negociada entre o Sindicato e representantes da Weg. “A proposta de redução é bem diferente do que prevê a legislação, de 1965, que estabelece redução de até 25% na jornada e no salário, e bem menor do que propunha a empresa inicialmente”, disse Silvino, “especialmente porque é menos agressiva na questão salarial”. E reforçou: “A responsabilidade é difícil, para o Sindicato e o trabalhador, afinal, o emprego é nosso maior patrimônio”.

 

De janeiro a maio deste ano, a Weg demitiu 1.060 trabalhadores. O Acordo, se aprovado, não garante a estabilidade, mas exige que a empresa mantenha o nível de emprego (média de admissões e dispensas) do ano de 2015. Caso a dificuldade econômica perdure, a empresa poderá prorrogar o período de redução da jornada e salário por mais 90 dias, desde que mantidos os mesmos critérios do Acordo e que o Sindicato seja comunicado com 10 dias de antecedência. Se houver qualquer alteração na proposta original devem acontecer nova assembleia e votação. Todos os mais de 12 mil trabalhadores do Grupo Weg assinaram a presença nas assembleias já que, se aprovado, o acordo deve ser homologado pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − onze =