Metalúrgicos injetarão R$ 7,04 bilhões na economia com o pagamento do 13º salário de 2016

Até o final de dezembro de 2016 o pagamento do 13º salário de 2016 aos quase 2,0 milhões de metalúrgicos de todo o país injetará aproximadamente R$ 7,04 bilhões na economia. Na comparação com o ano de 2015 houve redução de 18,3% do número de trabalhadores metalúrgicos e redução de 4,0% da massa salarial. Em 2016 os trabalhadores do setor metalúrgico no Brasil participam com 29,3% dos recursos pagos aos trabalhadores formais da indústria. Esse mesmo montante representa ainda 3,6% do total que será injetado na economia brasileira entre todos os setores. O estudo feito leva em conta dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), ambos do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), portanto estão descritos apenas os metalúrgicos do mercado formal de trabalho. Para obter o número total de trabalhadores metalúrgicos foi utilizada a RAIS 2015 complementada por atualização do Caged até o mês de setembro de 2016.Para o cálculo da remuneração média utilizou-se a RAIS 2015atualizada pelavariação médiado INPC no período janeiro a setembro de 2016 sobre igual período de 2015. Também não é considerado, por este estudo, o adiantamento da primeira parcela do 13º salário ao longo do ano, uma vez que parcela indeterminada de trabalhadores recebem parcialmente o pagamento do 13º no momento em que tiram férias. O mesmo se aplica aos casos em que há o recebimento parcial antecipado por definição, por exemplo, de Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) ou Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).   Análise dos resultados Como pode ser observado no Gráfico 1 a região Sudeste reponde por aproximadamente 67,3% do 13º salário estimado do setor metalúrgico, equivalente ao montante de R$ 4,7 bilhões do total. Para a região Sul estima-se que deverá ser pago 22,9% dos recursos destinados ao 13° metalúrgico. Na sequência aparece o Nordeste (4,8%); Norte (3,3%) e Centro-Oeste (1,5%). GRÁFICO 1 Estimativa da distribuição (em %) de recursos com pagamento do 13º Salário Grandes Regiões Brasil, 2015 Fontes: MTE, Rais e Caged Elaboração: DIEESE. As unidades da Federação que mais contribuem para o montante de R$ 7,04 bilhões que serão pagos a título de 13° salário são: São Paulo com R$ 3,5 bilhões (49,8%); Minas Gerais, com R$ 706,2 milhões; (10,0%); Rio Grande do Sul com R$ 646,9 milhões (9,2%) e Rio de Janeiro com R$ 429,3 milhões (6,1%). Na região Norte destaca-se o Amazonas com R$ 189,2 milhões (2,7%); no Nordeste a Bahia com pouco mais de R$ 122,0 milhões (1,7%) e no Centro-Oeste o Estado do Goiás com R$ 62,9 milhões (0,9%) (TABELA 1).   TABELA 1 Número de beneficiários, remuneração média e massa salarial estimadas(R$) e participação (%) dos trabalhadores no setor metalúrgico segundo unidades da federação Região Geográfica Emprego Formal Estimado 2016 (set) Rem Média Estimada (R$) Massa Salarial Estimada (R$) % Norte 82.951 2.821,02 234.006.625,06 3,3% 11 – Rondônia 2.957 1.758,98 5.201.317,00 0,1% 12 – Acre 319 1.310,89 418.173,06 0,0% 13 – Amazonas 65.098 2.905,75 189.158.836,16 2,7% 14 – Roraima 185 1.314,82 243.241,39 0,0% 15 – Pará 12.772 2.890,06 36.911.837,92 0,5% 16 – Amapá 317 1.565,05 496.119,59 0,0% 17 – Tocantins 1.303 1.552,09 2.022.372,74 0,0% Nordeste 130.729 2.592,51 338.915.589,90 4,8% 21 – Maranhão 7.350 2.417,27 17.766.900,98 0,3% 22 – Piauí 3.236 1.500,81 4.856.617,52 0,1% 23 – Ceará 29.387 2.166,01 63.652.628,19 0,9% 24 – Rio Grande do Norte 3.597 1.868,20 6.719.906,83 0,1% 25 – Paraíba 4.621 1.414,44 6.536.111,72 0,1% 26 – Pernambuco 37.112 2.787,39 103.445.463,83 1,5% 27 – Alagoas 2.732 1.686,12 4.606.481,38 0,1% 28 – Sergipe 5.830 1.494,17 8.710.996,52 0,1% 29 – Bahia 36.864 3.309,94 122.017.449,67 1,7% Sudeste 1.190.502 3.979,02 4.737.034.227,77 67,3% 31 – Minas Gerais 219.368 3.219,14 706.175.576,47 10,0% 32 – Espírito Santo 29.190 3.195,26 93.269.710,06 1,3% 33 – Rio de Janeiro 111.909 3.836,16 429.301.016,26 6,1% 35 – São Paulo 830.035 4.226,22 3.507.912.519,73 49,8% Sul 503.050 3.202,00 1.610.765.893,04 22,9% 41 – Paraná 148.338 3.378,24 501.121.972,02 7,1% 42 – Santa Catarina 156.094 2.961,70 462.303.612,53 6,6% 43 – Rio Grande do Sul 198.618 3.256,76 646.851.286,21 9,2% Centro-Oeste 48.979 2.225,20 108.988.223,37 1,5% 50 – Mato Grosso do Sul 8.025 2.014,48 16.166.230,79 0,2% 51 – Mato Grosso 9.022 2.025,32 18.272.463,91 0,3% 52 – Goiás 27.106 2.321,46 62.925.424,54 0,9% 53 – Distrito Federal 4.826 2.379,13 11.481.686,25 0,2% Total 1.956.211 3.599,61 7.041.603.845,26 100,0% Fontes: MTE, Rais e Caged Elaboração: DIEESE. EXPEDIENTE DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos Elaboração: Caroline Gonçalves Revisão: Rodolfo Viana

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze + dezesseis =