Sindmet assina parceria ao Programa Trabalho Seguro

Iniciativa visa a redução do número de acidentes e doenças do trabalho, na categoria

 

O Sindicato dos Metalúrgicos é o primeiro parceiro do programa “Trabalho Seguro”, em Jaraguá do Sul. Instituído pelo Tribunal Regional do Trabalho, o Programa tem o objetivo de diminuir o número de acidentes e doenças do trabalho e, consequentemente, reduzir o número de processos trabalhistas, previdenciários e acidentários. A assinatura do Termo de Parceria aconteceu na tarde do dia 28 de julho, no Fórum Trabalhista e contou com a presença da juíza da 1ª Vara do Trabalho, Adriana Camargo, do presidente do Sindmet, Silvino Volz, e dos assessores jurídicos da entidade, advogados Jaíra Balbinot e Rodolfo Jagelski.

 

A juíza Adriana Camargo lembrou que o tema do Programa Nacional de Prevenção aos Acidentes e Doenças do Trabalho, em 2017, é “Transtornos Mentais”. “São problemas que acometem os trabalhadores em decorrência do assédio moral”, explicou a juíza, que possui 10 anos de Magistratura e outros 20 anos atuando especificamente na área trabalhista. “O transtorno mental é difícil de tratar e também de descobrir a sua origem”, complementou, sugerindo ao Sindicato a realização de palestras e debates visando a conscientização sobre o tema.

 

A Cartilha “Assédio Moral no Trabalho: BASTA!”, publicada recentemente pelo Sindicato e entregue à juíza Adriana Camargo é uma ação importante, neste sentido. O Sindicato também já possui na Convenção Coletiva de Trabalho cláusulas específicas sobre o uso obrigatório dos Equipamentos de Segurança Individual (EPI) e o combate ao assédio moral e sexual no trabalho. Além disso, periodicamente o informativo “Barricada” traz informações sobre o tema. No mês de outubro de cada ano, o Sindmet costuma realizar um Seminário para debater o tema “Segurança no Trabalho”.

 

“Trabalhar em segurança, sem medo ou receio de acidentes, em um bom ambiente de trabalho, onde colegas e chefes se entendem é o que desejam todos os trabalhadores e trabalhadoras, mas a gente sabe que essas condições raramente são encontradas em uma mesma empresa”, avalia o presidente do Sindmet. Silvino também criticou a Reforma Trabalhista (Lei 13.467/2017) e que “trará mais fragilidade aos trabalhadores nas negociações com os patrões”. A juíza, por sua vez, manifestou preocupação “com a forma como foi feita a reforma trabalhista, sem o devido debate com a sociedade”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 9 =